Início » Quer abrir um e-commerce na área de TI? Confira 7 dicas espertas

Quer abrir um e-commerce na área de TI? Confira 7 dicas espertas

por Redação

Hoje em dia, estar na internet é algo quase banal para a maioria das pessoas. Quer dizer, você está lendo este artigo online agora, provavelmente pelo celular! Claro, isso não significa que seja algo tão fácil no contexto de uma empresa de TI. Abrir um e-commerce de qualidade, por exemplo, exige bem mais do que meia hora de cadastros.

Mas não se intimide agora! Lojas virtuais apresentam diversas vantagens para o ramo de TI, já que seus produtos são muito mais requisitados pelos internautas “hardcore”. E como softwares podem ser vendidos e entregues online, a distribuição fica ainda mais fácil. Basta saber como desenvolver sua loja e tirar o melhor proveito dela.

Se você já está com planos de abrir um e-commerce, então continue lendo e veja algumas dicas que certamente vão lhe ajudar!

1. Cloud computing é a norma

Já passou o tempo em que um negócio precisava de um local físico para existir. Hoje em dia, não é necessário ter um endereço. Isso porque a tecnologia de cloud computing, permite que você acesse seus dados de praticamente de qualquer dispositivo por meio da internet. Vai viajar? É só levar um celular com 3G/4G e você já terá tudo o que precisa para monitorar o seu trabalho.

É esse tipo de ferramenta que viabilizou a existência das lojas virtuais em primeiro lugar. Se você pretende ampliar o alcance dos seus produtos, utilizar o cloud computing vai facilitar o seu trabalho de administração da loja e melhorar a acessibilidade para todos os seus clientes.

2. Venda o que é importante

Essa dica é válida para qualquer área de atuação, mas pode ser ainda mais importante para o setor de TI. Ao abrir um e-commerce, é importante que você NÃO o encha com produtos que não geram valor para o seu público. Se fizer isso, tudo o que terá vai ser uma pilha de itens e códigos que ninguém quer comprar.

Pense, primeiro, no seu produto principal. Computadores completos, cursos de capacitação, softwares de edição? A partir daí, você deve pensar que tipo de produto pode agregar mais valor a essa mercadoria principal. Peças sobressalentes, material didático, plug-ins etc. Quanto mais útil um produto é para o seu público específico, melhor tende a ser o desempenho da sua loja.

3. A escolha da plataforma é muito importante

A ideia de que softwares e sites são serviços, não produtos, já está se popularizando ao redor do mundo. Porém, isso leva a uma nova questão: a qualidade do serviço prestado. Será que o seu provedor apresenta todas as funcionalidades que você precisa? Será que ele tem o melhor custo-benefício? Ele vai continuar servindo caso sua loja cresça? Questões básicas, mas muito importantes.

A solução aqui é simples: sentar e pesquisar. A única forma de contratar o melhor serviço é consultar as ofertas, verificar a reputação da empresa e conferir quais benefícios você ganha dentro do negócio. Não tenha pressa aqui: é melhor esperar mais alguns dias para contratar um serviço do que pular de cabeça e não ter o que precisa.

4. Estoque pode ser ou não uma necessidade

Outra vantagem de abrir um e-commerce é que, graças ao simples fato de não haver loja física, você pode nem precisar de um estoque para seus produtos. E não estamos falando só de softwares que já não ocupam espaço normalmente. Placas, carcaças, ferramentas, tudo isso pode ser vendido sem estar acumulado em algum local.

Isso acontece porque você pode criar uma loja, receber os pedidos e enviá-los para o fornecedor diretamente. Assim, a empresa que produz a mercadoria faz o trabalho de distribuição e o seu foco fica na venda do produto. Isso é bom para você, que consegue um negócio, e para a distribuidora, que tem um parceiro pronto para aumentar suas vendas.

5. Segurança em primeiro lugar

Claro, a internet está longe de ser o lugar mais seguro do mundo. Se você não souber como se prevenir, pode ter certeza que seu negócio e todos os seus clientes terão problemas. Os mais comuns são: roubo de dados, vírus e fraudes digitais.

Felizmente, já existe bastante informação sobre esses tipos de ameaça e como se prevenir contra elas. Escolher bons serviços de proteção digital, um provedor mais seguro e tomar certas atitudes para diminuir ainda mais os riscos não requer muito esforço hoje em dia. Se você pesquisar com cuidado ou contratar um especialista, certamente sua loja ficará mais segura.

6. Você não precisa ser global logo de cara

Algumas pessoas acham que só vale a pena abrir um e-commerce se você pretende vender logo para o mundo inteiro. Bem, essas pessoas estão erradas. Há outras vantagens em ter uma loja virtual além dessa, como o baixo custo de manutenção e a praticidade.

Além disso, ter um e-commerce global não é moleza! Você precisa contratar serviços bancários internacionais, provavelmente investir em algumas traduções para a sua página, verificar a geolocalização de alguns servidores e considerar as leis de outros países, como em relação sobre os locais que seus produtos podem ou não estar à venda.

Enfim, o que queremos também dizer é que se você quer começar com um e-commerce que só venda no seu bairro, você pode. Sem problemas!

7. Tenha uma política de devolução por precaução

Essa é uma daquelas medidas paliativas que você só nota a importância quando precisa dela. Devolver coisas compradas pela internet e recebidas pelo correio pode gerar, sim, muita dor de cabeça, especialmente se você não tiver um procedimento para isso.

É melhor colocar algumas regras sobre a devolução e trocas antes de fechar a venda — em um lugar bem fácil de ver. Dessa forma, seu cliente sabe como proceder e você não fica com fama de “caloteiro”, caso ocorra algum problema na entrega da mercadoria.

Depois de todas essas dicas, você já pode abrir um e-commerce no ramo de TI sem grandes dificuldades e aproveitar seu novo rendimento!

Quer mais informações para melhorar o desempenho do negócio? Então veja aqui algumas práticas de gestão de TI que melhoram qualquer empresa.

Compartilhe:
0 comentários

Notícias relacionadas

Deixe um comentário