Início » Conheça mais sobre os drones comerciais e suas aplicações

Conheça mais sobre os drones comerciais e suas aplicações

por Alessandra Neris
drones comerciais e suas aplicações

Bons empreendedores estão sempre de olho nas mudanças do mercado. Buscam tendências, pesquisam hábitos do consumidor e as inovações tecnológicas mais influentes do momento, como os drones comerciais e suas aplicações diversas.

Esses equipamentos fascinantes, que antes se faziam presentes apenas nos filmes de ficção, agora, são protagonistas das mais variadas utilidades do dia a dia. Sim, a praticidade empregada a esse objeto incrível o transformou em um instrumento altamente benéfico para profissionais de diversas áreas tornando-se um grande aliado por sua capacidade de trazer soluções para os problemas enfrentados por inúmeros segmentos comerciais.

Então, se você também é adepto a tecnologia de última geração, fique com a gente e saiba mais sobre essas pequenas notáveis máquinas voadoras!

Drones comerciais e suas aplicações

Seu valor comercial reside na possibilidade de voar até determinado local, executar uma tarefa e retornar ao ponto de origem ou a um destino diferente. O equipamento é, ainda, capaz de fornecer resultados mais eficientes e econômicos que outros métodos tradicionais já conhecidos. Vale dizer também que a capacidade de coletar e analisar dados através de Drones são extremamente úteis para tomada de decisões em aplicações de mapeamento topográfico, inspeções de infraestrutura e segurança, agricultura de precisão, entre outras.

Esses equipamentos são amplamente aplicáveis nas mais diversas áreas e com funcionalidades distintas. Além disso, muitos mercados ainda não explorados hoje, futuramente, podem vir a gerar demanda, criando muitas oportunidades a novos profissionais.

Aplicações dos drones

Os drones comerciais e suas aplicações variam conforme as necessidades dos diferentes segmentos. Isso inclui fornecimento de dados em tempo real a respeito do andamento de uma grande obra até a emergência em locais de difícil acesso. Pode, ainda, servir para fazer o mapeamento de áreas agrícolas e para evitar que técnicos subam em telhados para inspecionar instalações de painéis solares.

Atualmente, há mais de 50 relatórios apontando as mais diversas previsões acerca da comercialização de drones e de serviços a eles atrelados nos próximos anos. Isso ocorre, geralmente, dando prioridade a determinados nichos destacados em alguns desses relatórios. A seguir, apresentamos alguns apontamentos, para se ter uma ideia:

Podemos observar no relatório da PwC, em 2016, a indicação dos setores de infraestrutura, de seguro, de transportes, agricultura, mídia e entretenimento e telecomunicações. Distinguem-se, ainda, os segmentos de segurança, transportes e mineração, sendo todos eles os mais promissores para a aplicação do uso de drones. O DroneShow postou um breve resumo do relatório, no mesmo ano. Já o relatório da Goldman Sachs Research estimou que seriam investidos cerca de US$ 13 bilhões em drones até 2020.

Convém frisar que os drones classe 3 são aplicados, principalmente, em cinema e vídeo, inspeções industriais e prediais, agronegócio, mineração e segurança, resgate e busca.

Uso civil

Antes, esses equipamentos eram empregados para uso militar. Agora, ganharam ampla popularidade para usos civis de inúmeros tipos. Com sua evolução, diversas questões passaram a requerer respostas urgentes dos órgãos da aviação civil governamentais no mundo todo. São elas: licença para aquisição e operação, treinamento de pilotos, restrições de uso do espaço aéreo, coleta, processamento e compartilhamento de dados.

No Brasil, a norma que determina as regras para as operações de drones civis e comerciais, também, chamados de Veículos Aéreos não Tripulados (VANTs) teve vigência em 2017, através do Regulamento Brasileiro de Aviação Civil Especial nº 94/2017 (RBAC-E nº 94/2017) da ANAC complementar às normas de operação de drones estabelecidas pelo Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA) e pela Agência Nacional de Telecomunicações (ANATEL).

Esse regulamento possibilitou a utilização profissional destas aeronaves, gerando credibilidade ao mercado e proporcionando um aumento expressivo do interesse de empresas de todos os portes nos serviços com drones.

 Mercado brasileiro de drones

O mercado de drones, no Brasil, faturou R$ 300 milhões em 2017 e segundo o Diário do Comércio, o setor tende a crescer rapidamente. A mesma fonte, apontou que a concentração de drones no país equivale a 62% dos equipamentos nos estados de Minas Gerais, São Paulo, Paraná e Rio de Janeiro.

A previsão era de que até 2020 esse mercado dobraria ou triplicaria de tamanho. Destacamos que o Diário do Comércio usou os dados fornecidos pela ANAC e pelo DroneShow – evento mais importante desse setor.

Segundo a Administração do Comércio Internacional do Departamento de Comércio dos EUA, o mercado brasileiro de drones representa cerca de US $60 milhões. Aqui, os voos totalmente autônomos ainda não são permitidos e o mercado ainda é considerado pequeno. É composto por equipamentos com preços que variam entre US$ 2.000 a US$ 20.000.

Todavia, conforme já mencionamos, nosso mercado tende a crescer rápido nos próximos anos. Vale frisar que, nossos dados ainda são escassos ou de acesso muito restrito. Porém, anualmente, a Droneshow, realiza uma pesquisa sobre o setor e a ANAC, disponibiliza, mensalmente, seus dados a respeito dos drones.

A aplicação da tecnologia está cada dia mais presente na nossa rotina diária e seus benefícios são incontáveis. Décadas atrás, tudo isso parecia inalcançável e hoje, faz parte do dia a dia de todos nós. Os drones são ferramentas dotadas de mil e uma utilidades, encurtam distâncias, previnem acidentes, coletam dados e otimizam o tempo.

A Aldo é uma das maiores distribuidoras de drones no país, além de distribuidora autorizada da DJI, uma das maiores fabricantes do mundo. Quer saber mais sobre o assunto? Acesse nosso blog!

Compartilhe:
0 comentários

Notícias relacionadas

Deixe um comentário