Início » Arquitetura e energia solar: como executar o projeto ideal

Arquitetura e energia solar: como executar o projeto ideal

por Alessandra Neris
Arquitetura e Energia Solar

Arquitetos e profissionais da construção civil ainda têm dúvidas sobre como adaptar seus projetos à sustentabilidade. Estamos falando dessa nova realidade em que os clientes consideram bastante viável e possível. É a instalação de um gerador de energia solar, aliando arquitetura e energia fotovoltaica  no mesmo projeto.

Por isso, neste artigo, preparamos algumas dicas que podem ajudar os profissionais envolvidos nesses projetos.

Arquitetura e Energia Solar

Há alguns anos, a estética dos equipamentos de geração de energia solar era considerada um obstáculo para a aceitação de arquitetos e consumidores. Mas, atualmente os elementos fotovoltaicos vêm substituindo os materiais tradicionais de acabamento. Assim, é importante esclarecer que o sistema fotovoltaico é mais eficiente e harmônico quando atende alguns requisitos:

1. Posicionamento

O posicionamento está diretamente relacionado à eficiência energética do sistema. Sendo assim, manter os painéis voltados para o norte é a maneira ideal de posicionamento para se obter uma maior geração de energia. Isso é relevante, considerando que o sol nasce no leste, inclinando ao norte e se pondo no oeste. Portanto, se o telhado está com a face voltada ao norte e não há incidência de sombras no local, esse posicionamento otimiza a captação de energia tornando o sistema muito mais eficiente. Dessa forma, os painéis solares devem ser instalados, preferencialmente, com a face para o norte para que haja maior produção de energia.

Em sistemas fotovoltaicos, seja on grid ou off grid, deve-se considerar, também, o ângulo de inclinação das placas solares, sendo a latitude da região o grau ideal. O sombreamento é outro fator de extrema relevância que pode comprometer a geração de energia, muitas vezes ocasionado por chaminés, caixas d´água, copas de árvores e outros obstáculos.

Sobre o tema arquitetura e energia solar, apresentamos o entendimento da arquiteta e urbanista, Carol Barreto, sócia do Personnalité, escritório de arquitetura e engenharia com foco em inovação.

Segundo a arquiteta, “a eficiência energética das edificações é considerada um dos principais fatores a serem levados em consideração na hora de projetar uma residência ou um comércio. Um projeto eficiente de arquitetura e energia solar inicia-se desde a preocupação do posicionamento da edificação no terreno e a posição do sol em relação a essa edificação. Quais ambientes devem estar voltados para o sol da tarde? Onde o sol é mais intenso. Essa edificação está no norte ou no sul do país? O sol deverá ser nosso amigo para aquecer-me no inverno ou devo me proteger dele no verão?”

Para uma melhor compreensão dessa questão, recorremos a um exemplo sobre o melhor emprego da eficiência energética, conforme segue:

Arquitetura e energia solar

Nessa imagem, da sede da fachada da Neo Solar Power Corporation, é possível verificar uma forma inovadora e inteligente de aproveitar a eficiência energética. O topo da edificação é coberto com painéis solares. Além disso, os projetistas usaram painéis de forma orgânica e continuada em toda a estrutura do vidro.

Arquitetura e Energia Solar

O edifício CIS Nordhavn, da Escola Internacional de Copenhagen, na Dinamarca, distribui vários painéis solares pelas paredes. Isso cria um conjunto de captação de energia solar ao redor do prédio todo, aumentando ainda mais a eficiência do sistema. Essa mesma dinâmica de distribuição pode ser feita em coberturas de estacionamentos, áreas externas de residências e em outras aplicações que se mostrarem aptas.

Os elementos fotovoltaicos têm como principal característica a capacidade de se adequarem aos materiais comuns da arquitetura, desde metais a vidros em superfícies semitransparentes ou opacas. Essas possibilidades levam os fabricantes de tecnologia fotovoltaica a criarem cada vez mais soluções inovadoras e interessantes para o setor de construção civil.

2. Dimensionamento do telhado

Estamos falando de um mercado promissor, entretanto, ainda existem barreiras para serem vencidas. Uma delas, é o investimento inicial, encarado como um entrave por muitos consumidores, em razão do custo. Por esse motivo, é fundamental levar em conta o dimensionamento correto de cada projeto de arquitetura e energia solar. Dessa maneira, o sistema poderá atender à necessidade do cliente, com o investimento inicial amortizado mais rapidamente.

Em projetos arquitetônicos novos, é comum a inclusão da possibilidade de instalação de um sistema de geração de energia solar. Nesses casos, implementar o sistema depois se torna muito mais simples e menos dispendioso. Em construções mais antigas, muitas vezes, é preciso fazer adaptações para que o aproveitamento da eficiência dos painéis seja ideal. Com isso, o projeto se torna mais caro.

Para dimensionar corretamente é importante observar a área disponível para instalação dos painéis solares. Assim, a potência do gerador de energia solar fotovoltaica influencia na quantidade de painéis solares que precisam ser instalados para atender a necessidade do cliente. Por isso, é muito importante prever a área a ser utilizada, além de estudar o peso do conjunto de painéis sobre o telhado. A massa sobre o telhado também não pode ser desprezada, assim como a do módulo, que varia entre 20 kg até 35 kg.

Essas observações são muito pertinentes quando levamos em conta a economia e o bom aproveitamento dos recursos financeiros. Nesse sentido, Carol Barreto explica que: “Pensar a edificação em fase de projeto com o telhado na inclinação e orientação correta para receber a instalação de placas fotovoltaicas é fundamental para otimizar o investimento. Esse cuidado demanda economia e evita desperdícios, caso isso tenha que ser feito posteriormente. A instalação de placas para produção de energia fotovoltaica, atualmente, se transformou em um item praticamente indispensável em uma edificação. Isso é válido, principalmente, para quem prioriza a economia de recursos naturais e financeiros.”

É sempre bom lembrar que cada projeto fotovoltaico tem suas particularidades e isso o torna único. O dimensionamento, portanto, leva em consideração o local, os dados de consumo e o que se deseja gerar para atender as necessidades de cada consumidor.

3. Espaços extras

A partir do momento em que se deseja instalar um gerador de energia solar é necessário prever os espaços extras para alguns equipamentos. Isso inclui caixas de proteção e o inversor solar, que é o coração do sistema, lembrando que existem tamanhos diferentes entre os inversores.

Como regra, é possível reservar um espaço na parede de 1m x 1m, pelo menos. Quanto mais próximo o inversor estiver do quadro elétrico, melhor. Para as caixas de proteção, o espaço destinado é bem menor, sendo que, eventualmente, elas podem ocupar uma área logo abaixo do telhado. Por fim, sistemas fotovoltaicos necessitam de eletrodutos que vêm desde o telhado, geralmente, com diâmetro de ¾” ou 1”.

4. Adotando os conceitos de sustentabilidade

Incluir princípios de sustentabilidade em qualquer projeto que se possa imaginar já não é mais um simples diferencial e, sim, uma necessidade. Logo, é essencial considerar esse aspecto, sempre que possível, em primeiro lugar. Assim pensam e trabalham os profissionais que estabelecem seus objetivos para essa direção, conforme afirma a arquiteta Carol Barreto:

“Acredito que projetar utilizando os conceitos de sustentabilidade seja mais do que uma tendência. O uso dos recursos naturais de maneira racional, assim como fatores climáticos de cada região, devem estar cada vez mais incorporados aos projetos do futuro”.

¨Quando iniciamos nosso trabalho com projetos voltados para sustentabilidade e eficiência energética, iniciamos também um trabalho de conscientização dos clientes. O objetivo é levá-los a entender a importância de uma boa arquitetura planejada com conceitos de bioclimática. Isso é relevante para que eles possam ter ambientes mais fresquinhos e saudáveis e, além disso, economia de energia. Uma casa iluminada naturalmente, onde você não precisa acender a luz de manhã ao ir ao banheiro, consome menos energia. Uma casa com ventilação cruzada precisa de menos ar condicionado e, consequentemente, consome menos energia.”

De acordo com o relato da arquiteta, fica cada vez mais claro que os projetos não podem mais deixar de lado essas questões salutares. De agora em diante, é imprescindível considerar o potencial uso de sistemas fotovoltaicos nas edificações a fim de garantir economia e atenção ao meio ambiente.

4. Sustentabilidade e tecnologia do futuro 

 Para que o futuro se torne um “lugar” melhor, portanto, devemos fazer o que é indispensável agora. Não há mais tempo a perder, tampouco recursos a desperdiçar. A hora de mudar para melhor é agora.

 É para essa direção que profissionais como Carol Barreto olham. “Hoje utilizamos essa energia gerada para consumo, basicamente, para equipamentos e iluminação. Mas, em breve, essa mesma energia poderá ser utilizada para abastecimentos de carros. Esse é o caso de um de nossos clientes, que já solicitou uma tomada especial para este fim em sua garagem”.

“Em pouco tempo, os painéis solares sairão dos bastidores e ganharão lugar de destaque em fachadas corporativas. Elas produzirão, além de energia, uma dinâmica cada vez mais futurista aos projetos arquitetônicos. Cabe, portanto, aos arquitetos e projetistas aceitar ou não este desafio: de unir a eficiência, a tecnologia, a estética e o bem estar!”

E você, gostou dessa breve viagem a um futuro tão próximo da sua realidade? Então, não deixa nada disso para amanhã, comece agora mesmo a planejar o seu projeto fotovoltaico, visitando nosso site!

Compartilhe:
2 comente

Notícias relacionadas

2 comente

francisco 27 de agosto de 2019 - 04:12

contato não funciona! erro 404
preciso de mais informações

Redação Aldo Solar 5 de dezembro de 2019 - 14:26

entre em contato pelo telefone 44 3261 2000

Deixe um comentário